Início Notícia Pitt Kelson, um dos pioneiros do drill de Angola

Pitt Kelson, um dos pioneiros do drill de Angola [Por @Bantumen]

0

O drill está a ganhar cada vez mais o seu espaço na cena musical dos países de língua portuguesa e já existem fazedores que estão a dar “sangue” ao estilo em Angola, Pitt Kelson é um deles.

Da Avenida dos Combatentes, Luanda, para o mundo, Kelsio da Cruz de 19 anos responde nas ruas pelo nome de Pitt Kelson. O jovem é por muitos considerado como um dos pioneiros do drill de raiz angolana.

O menino do “Escomba” (vulgo de Avenida dos Combatentes) tem conquistado o seu público pela sua agilidade a dropar e com linhas cruas que espelham o estilo de vida nos guetos da cidade capital.

Pitt não é de egotrips, o que acaba por demarcá-lo do que se tem feito em Angola dentro do movimento hip hop. Por que é diferente? O próprio explica: “Sempre fui um crente e também muito perturbado. Andava com gajos de vida bandida e não com rappers”.

Em 2016 gravou o seu primeiro som a solo, “Tamo a Ballin”, com a participação de um amigo que já tinha alguma experiência dentro do movimento.

Para o driller, o estilo em Angola está numa boa caminhada, mas acha que a essência dos artistas precisa estar bem patente nas músicas que são lançadas. “Sinto que falta mais alma na lírica”.

Sobre as suas referências, Pitt destaca o norte-americano Eminem. “No nosso mercado não tenho uma única referência. Tenho a minha sonoridade como fruto de tudo que já ouvi e continuo a ouvir, sem desrespeitar o rap nacional, até porque sou ouvinte e respeito todos os fazedores. No mercado internacional bebo muito do Eminem”, revelou.

No seu canal de YouTube encontramos quatro músicas. A primeira, “Sucupira”, foi lançada há dois meses e dá-nos uma sonoridade mais kudurista, que pode ser interpretada como a faixa de transição para o drill no seu estado mais bruto à moda Angolana. Essa segunda fase, observamos sobretudo em “Muita Inveja no Meu Gueto”, que é a faixa com mais popularidade, com 52 duas mil visualizações, em um mês .O que é um número relativamente bom para Angola, considerando que a música ainda circula muito através de formas alternativas como o WhatsApp e redes sociais.

Muita Inveja no Meu Gueto” foi lançada em junho do ano passado e é um drill que ganhou visibilidade no Twitter. A letra fala-nos da sua luta para sair da precariedade do bairro e que o foco é a chave, para ele e para os amigos que vai arrastar no seu sucesso. Em janeiro de 2021, o single ganhou videoclipe, fruto de uma parceira com o videomaker Xixi Filmes.

A popularidade da música acabou por chegar aos ouvidos de Inamotto e Hélder David, que fizeram um vídeo de análise no projeto 2contra1.

Quanto a projetos futuros, Pitt Kelson ainda não avança novidades, mas garante que, junto com seu team, Zona Pambaloza, estão “sempre a escrever e a gravar”, portanto pode ser que em breve surja um som novo dentro da cena drill angolana. “O que mais temos são músicas e estamos a trabalhar e a estudar o movimento. Lançamos quando sentirmos a necessidade de mandar um material novo”, concluiu.

Fonte: Bantumen

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here