Pyrack Need U “O Código SWIFT do Rap Nacional” [Por Soba L]

6

Chega a ser, quase criminosa, a forma como os Hip Hop Heads do nosso Movimento negligenciam alguns elementos da Cultura.

hip-hop

O Street fashion e o Street Entrepreneurialism, são os dois elementos da cultura que mais têm sido subjugados, de forma sistemática, pelos padroeiros do nosso Movimento.

O Rap é colérico, o Rap maldiz, o Rap é penúria e calamidade – E somos quase todos tentados a gritar em uníssono “Te Odeio 2016“, pois, maldita seja a crise econômica e financeira que assola o nosso território.

Todavia, segundo contam os arautos desta Cultura, o Rap sempre esteve em crise, foi sempre ilegal e nunca recebeu dotações orçamentais, sendo o Selfmade a raiz identitária deste estilo hermético celebrizado pelo Mad e Denexl.

Desigualdade e Icônico, são os dois singles promocionais de avanço do novo Projecto do DH, interpretados pelo Pyrack Need U. São duas faixas musicais, que me levam, pelo seu conteúdo, a gritar “Te adoro 2016“.

O Rap é colérico, o Rap maldiz, felizmente o Pyrack Need U, não alinha no mesmo diapasão e, enquanto alguns, vociferam contra as alegadas inconstitucionalidades na nomeação da PCA da Sonangol, Pyrack está – No VIP Room VIP Table com a Engenheira Isabel e com Vizinhos em Continentes diferentes.

Às vezes da-me a impressão que convencionou-se entre os Hip-Hop Heads, que o Street Fashion é a bandeira de marcas exclusivas como: Mecca, Enyce Phat Pharm e Timberland e, quando o Pyrack Need U rima sobre – Bentley Baby Blue e Sandálias da Tom Ford ou Audemars Em Ouro Rosa – Surgem logo às habituais armas de arremesso – Ele é Comercial – Só fala de marcas.

Street Entrepreneurialism, parece que nem todo o empreendedorismo é bem-vindo no nosso Movimento. És louvado e glorificado se empreenderes com associações que reivindicam as lacunas da nova Lei geral do Trabalho – És vilipendiado e subjugado se empreenderes com  – Mercedes s550 nas Estradas de Lisbon – Comitivas de Porsche nas Estradas de Cannes é Desigualdade na Ásia e Garrafas da Bellaire tipo o Bebucho do Rozay.

A luxúria e a avareza são pecados capitais mas não são crimes e ainda bem que vivemos num Estado laico. Quero deixar aqui o meu grande apreço pelo Pyrack Need U, pelo que ele representa para o nosso Movimento [Rei do Street Fashion e Street Entrepreneurialism] e sobretudo pela forma competente como tem enquadrado a concorrência, por sinal desleal, diga-se em abono da verdade.

O Rapper moçambicano Sem Paus, estava certo, quando dizia – Vossa inveja não vos deixa pensar: – Eu estou a andar por cima da água e vocês dizem ah está à andar porque não sabe nadar.

Parafraseando o Rui Miguel Abreu, o Deus do Hip Hop – A ideia de que a nova escola hip hop só se define enquanto negativo da escola original – a velha! – é ridiculamente absurda.

Mas acreditar que tudo começa agora é um erro tão tremendo como acreditar que tudo terminou em 1992 quando o bom doutor editou The Chronic.  Fim de citação.

Texto: Mardilénio Hifewa [Soba L] “Aprendiz de Escritor

Comentários

comentários

6 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA